quarta-feira, 15 de abril de 2009

Não adiantou chorar...

A FIA deu um ponto final na patética história dos difusores. No fundo era apenas uma tentativa dos grandes times de “arrebentarem a corda no lado mais fraco”. Os tais difusores com toda certeza não são milagrosos, vide que a Red Bull que não possui a tal peça na polêmica versão anda na frente da Williams que o possui.


O fato é que se trocar os difusores desse automaticamente 0,5 segundo por volta, as outras equipes em vez de protestar haveriam apenas copiado (como acredito que já fizeram). Com toda certeza, afirmo que eles já testaram como seriam seus carros com os tais difusores no túnel de vento, porém o desempenho da Brawn GP e da Toyota se deve a todo o desenho do carro, ao projeto em um todo e não apenas à uma peça, por isso o desespero da Ferrari e Renault no tribunal pois para utilizar o mesmo difusor da Brawn GP vão ter de começar o carro quase do zero.

O fato é que depois que a Ferrari saiu dos comandos do trio Schumacher - Brawn - Todt e caiu nas mãos dos italianos ela trabalha duramente para reviver a era Berger/Alesi.

E para reforçar o que disse sobre as equipes já terem testado seus carros com os mesmos difusores que até ontem consideravam ilegal, espera pra ver alguns times já usando na China ou em Barcelona. Difusor não se constrói e adapta ao carro de corrida em uma semana...
Deixem suas análises!

13 Análises:

Henry 16 de abril de 2009 00:18  

Análise,
A minha análise é que nesta história não tem santo, mas esteja certo que não houve uma discussão nem choro técnico: foi um braço de ferro entre Bernie Ecclestone+Max Mosley versus FOTA, ganho pelos primeiros. Méritos para eles. Tanto que os fracos são: a maior montadora do mundo, a TOYOTA, a BrawnGP (que teve o maior orçamento do ano passado via HONDA, 450 milhões, maior até do que o da FERRARI) e a Williams, essa sim garageira.
Foi uma jogada de mestre da dupla para manter os 6 carros no grid e enfraquecer a FOTA.

Veja que será dificil agora para as equipes evitar testes, túnel de vento e fazer contenção de custos. A intenção ficará só no papel, assim como a redução de DOWNFORCE que foi substituída por aumento de DOWNFORCE.

Batista,  16 de abril de 2009 06:38  

Com difusor ou sem difusor o Hamilton vai ser Bi!

Anselmo Coyote 16 de abril de 2009 08:01  

Henry,

Permita-me discordar. Intenção só é eficaz qdo vai para o papel e ganha status de norma cogente.

Para isso que existem os regulamentos, onde se põem as normas de caráter geral, obrigatório e impositivo da da sanção nela estabelecida.

Entendeu?

Estão dizendo que o Ross Brawn é imoral.

Com todo o respeito, imoral dizer isso. É ser seletivo perante as normas de um regulamento, submetendo-se apenas às que lhe são favorávels e invocando a "intenção" (não escrita) para tornar favorável o não lhe é.

Isso é relativização para confundir o que está escrito com o que está e, ao final, não cumprir o que manda lei, ou pior ainda, para punir quem a cumpre.

Um grande abraço, Henry.

Por essas e outras não escrevo mais lá

Henry 16 de abril de 2009 08:37  

Coyote,
Ross Brawn é imoral? A F1 não é um convento.

Agora, o fato é que essa solução do difusor já foi apresentada por outras equipes anteriormente e rejeitada. Jornalista espanhol Antonio Lobato: "Lo más divertido de esta historia del difusor es que según me han contado Red Bull presentó a la FIA en agosto pasado un diseño de difusor prácticamente idéntico al de Brawn. Charly Whiting se lo tiró abajo diciendo que estaba fuera de la normativa. La cara que se les quedó cuando vieron el de Brawn en pretemporada fue brutal y que pasarán la inspección de los comisarios en Australia les tumbó. Ahora resulta que valen."

Mestre Claudio Carsughi:
http://jovempan.uol.com.br/media/online/index.php?view=27752Eu entendo que essa vista grossa que a FIA fez ao acertado no Overtaking Working Group fez parte da estratégia VITORIOSA de Ecclestone para manter 20 carros no grid: méritos para ele. Sua empresa tinha por contrato que garantir 20 carros no grid para as TVs. Agora, passar por cima do combinado vai ter um custo esportivo daqui para frente. Assim como, por exemplo, tirar circuitos como Silverstone e Montreal. Resultados imediatos que vão minando a categoria.

João's F1 16 de abril de 2009 13:36  

Tio Ross, foi esperto,estudou o regulamento como ninguem, a mesma coisa fizeram os engenheiros da Toyota e Williams, agora o resto que corra atrás.

Deem uma olhada no meu blog
Abraços

Manu,  16 de abril de 2009 15:07  

Eu ainda acho o difusor um elemento relativo. Ajuda muito mas não é o principal responsável pelo bom rendimento dos carros q o tem. Visto q há mais algo q provém de bom resultado é q a Willians tem um rendimento razoável perto da Toyota e Brawn.
Não sei, mas de qq forma era de se esperar essa decisão da FIA. Decisão correta ou não? 90% sim.

abs!^^

clickfale 16 de abril de 2009 17:28  

errado, correto, mais ou menos... tdo mundo tem palpite, todo mundo tem razão. Como se diz: é tudo relativo. Então deixemos os argumentos e vamos aos fatos (pois contra fatos não há argumentos, ou seja contra provas, nao existe dialogo, no maximo fica-se quiento apreciando)
Fato 1; ross brawn é o responsavel tecnico da fota, aquele que coordena, orienta, etc... sobre parte tecnica da f1. Ele não mentiu, mas se omitiu deixou todo mundo ir de um jeito e ele foi de outro (mesma coisa que voce trabalhar numa empresa, o chefão manda criarem uns projetos novos e voce participando duma equipe faz e desenvolve o seu e seu coordenador que deveria lhe apoiar, orientar cria um diferente mais aperfeiçoado e leva avante - no mínimo ficamos com cara de tacho, a consequencia? o outro leva os louros e você um pe´na bunda)
fato 2: algumas equipes levaram e mostraram pro charles nao sei das quantas da fia seus projetos e ele disse que era ilegal. Mas o da brawn e da toyota e williams nao é. Mas é identico aos projetos das escuderias que ele disse que estava fora do regulamento. Conclusão: jogo de cartas marcadas.
Fato 3: ter identidade, um representante, um grupo de trabalho e união na f1 é vital, mas por a raposa no galinheiro não dá né (ross brawn) Se eu fosse participante da fota tirava minha equipe desse grupo de trabalho e deixava bem claro na imprensa meu pensamento sobre aquele que deveria trabalhar a favor de minha equipe e que trabalha contra. Se é para me sabotar que seja um estranho.

Patrícia,  16 de abril de 2009 21:50  

Tá uma bagunça isso. E pensar que o título deste ano vai ficar na mão de pilotos de 3ª categoria. Ninguém merece!

Anônimo,  16 de abril de 2009 22:37  

Patrícia Briatore?

Glaucia,  16 de abril de 2009 23:01  

Paty,
você está coberta de razão!

Anselmo Coyote 16 de abril de 2009 23:36  

Henry,

A imprensa espanhola é composta de tablóides. Basta dizer que o Carlos Miguel do AS espanhol pôs o Alonso na Ferrari 200 vezes com contratos e pré-contratos. Vc viu como distorceram as palavras do Nelsinho? O Carsughi é um italiano Ferrarista confesso.

Com todo o respeito, neste barco com eles eu não embarco.

Prefiro meu barco. Torço pelo Kimi (Ferrari) e pelo Nelsinho (Renault), exatamente as equipes que estão contra os difusores, mas minha torcida não me impediu de ver que desta vez a esperteza delas não deu certo. Isso deve mostrar a vc que não estou movido por emoção de torcedor, porque a decisão prejudica meus pilotos.

Eu não sou do tipo que pensa que justa é a decisão que me favorece.

O justo é justo e pronto.

Quem escreveu que o Ross Brawn é imoral é imoral e também arrogante.

Arrogante quando disse que a decisão foi para prejudicar a FOTA porque agradando umas e não a outras está dividindo as equipes. Isso é arrogância ridícula, porque se a decisão fosse o contrário também agradaria a umas e desagradaria a outras.

Por acaso isso não dividiria as equipes? Óbvio que sim.

A menos que umas equipes pudessem ser prejudicadas e outras não. É o que acham esses pequenos ditadores segregacionistas travestidos de democratas.

Por isso não escrevo mais em determinados blogs. O blog não perde com a minha falta, mas eu ganho muito em fugir de certas companhias.

Abs Henry.

Henry 16 de abril de 2009 23:55  

Coyote,
Como eu disse lá no Felipe Motta, isso é briga de cachorro grande.

Não tem santo nessa história. Eu não concordo com a condução do Ecclestone, mas ele é mestre no que faz e na defesa dos interesses da FOM. Palmas para ele.

Sobre imoral: Entrar nessas avaliações pessoais, vai cair no "Atire a primeira pedra" ou "Se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão".

Bom, depois continuamos.

Valeu o Belchior,
1 abraço

Cristiano do Popolog 17 de abril de 2009 01:42  

Olá Redação!!!

Convenhamos, que o tal difusor faz muita diferença pois a eficiencia de um bólido vem da sua aderancia!!!

Nesse aspecto, o difusor é uma invençao megnânima!!!

Nossa que filosofal!!!

Até mais...

  ©Template by Dicas Blogger.