sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Quando os "Profis" são amadores...

A equipe Honda de F-1 fechou as portas, simples assim. Até ontem procuravam um parceiro para Button no próximo ano, hoje "existe" apenas vaga para no máximo um corretor de imóveis.


O "projeto" (a quinquilharia deste ano pífio) esta à venda. No pacote esta o "pato" Ross Brawn, a "viúva" Jeson Button e o "assasino da equipe" Nick Fry.

A desculpa? A crise mundial.

A verdade? Uma seqüência de burrices com o fim selado pela crise mundial.

Os culpados? Nick Fry, a Honda e Bernie Ecclestone que torna a F-1 cada vez mais cara e insustentável além de cada vez menos interessante.

A Honda tem uma longa história na F-1, maior parte dela como fornecedora de motores onde conquistou seus únicos sucessos, vide a parceria McLaren-Honda-Ayrton. Em 2006 100% dona da antiga BAR utilizou o próprio nome para a equipe, contratou a promessa Jeson Button a preço de Kimi Räikkönen ou Fernando Alonso, por um salário 3 vezes maior que de Hamilton, contratou Barrichello que saia da Ferrari para se ver livre da sombra de Michael Schumacher. Sonhou em ser campeã mundial, mas apenas sonhou, na realidade começou no meio do grid e terminou melancólicamente nas duas últimas filas do grid de largada mesmo investindo mais de $400.000.000,00 por ano, mais do que a BMW por exemplo com resultados muito mais expressivos.

Manteve Nick Fry como dirigente mesmo vendo que a equipe apenas caía de rendimento, manteve uma dupla de pilotos que já não demonstravam vontade em dirigir um carro daqueles mas que permaneciam pelo dinheiro e também pela falta de opção fora a equipe nipônica. Tinha dinheiro para dar, vender e jogar fora. Na verdade apenas o jogou fora, fez um marketing estranho com "a terra dos sonhos", recusou patrócinios em sua carroceria (regra 1 do capitalismo, por mais rico que você seja dinheiro nunca é demais) pintou tudo de verde e teve de longe o carro mais feio do Grid. Resultado deste Marketing? Ganharam um prêmio ecológico, mas na F-1 apenas perdaram milhões por mês.

Contrataram Ross Brawn como quem paga dinheiro por milagres em igrejas não sérias, começaram o ano 2 segundos por volta mais lentos que Ferrari, McLaren e BMW e por lá se manteram. A STR evoluiu, A Toyota evoluiu e a Honda ficou no fim das contas no fim do grid se conformando em ser maior apenas que a até hoje insignificante Force India.

Agora anunciam como amadores que fecharam as portas de uma hora para outra, fez no mínimo 3 pilotos de bobo (Button, Barrichello e Senna), saem da maior competição de automobilismo do mundo como quem para de freqüentar a acadêmia de esportes. Sinceramente do jeito que saem não precisam mais voltar para F-1. E ainda tentaram levar Fernando Alonso para correr pela equipe na próxima temporada. Sondar um bicampeão mundial sabendo que poderá baixar as portas é atitude de moleque! Como uma empresa tão grande pode ser tão desorganizada e irresponsável?

A F-1 também possui seu Bush e ele se chama Bernie Ecclestone:

Por que Bush? Assim como o presidênte americano arruinou a econômia dos EUA e com suas atitudes insanas arranhou a imagem de seu país, Bernie Ecclestone faz o mesmo na F-1. Grande parte da culpa de que equipes se fechem com muita rápidez ultimamente e que apenas grandes montadoras possam levar seus projetos adiantes é inteiramente deste senhor. Limitar os motores ou fazer os chassis de "papel" não é o que torna a F-1 insustentável, o que torna a F-1 insustentável são as taxas cobradas por Ecclestone pela Super Licença (o que torna o salário dos pilotos cada vez mais alto) taxas impostas nas incrições das equipes e por aí vai. O que tal medida faz? Torna Bernie mais rico e a F-1 cada vez mais pobre. Em seu tempo de auge a categoria tinhamos 24 carros alinhados no grid fora vários outros que não se classificavam para a corrida. Com Bernie o número caiu para 22 depois para 20 e agora com sorte teremos 18 carros em 2009. (Vai que a Red Bull resolve se livrar da Toro Rosso? Já tiraram o Vettel de lá e o Berger se mandou).

Outro erro de Ecclestone que vem matando da F-1 é sua compulsão de tirar a F-1 da Europa. Oras, F-1 é sinônimo de Europa, nós que não somos europeus queremos também ver as corridas lá(aqui) na europa e com excessões para GP´s tradicionais como o dos EUA (com o qual ele acobou), com o do Canadá (Com o qual ele também acabou), com o da Autrália (com o qual ele quer acabar) e o do Brasil (que perdeu o enceramento do campeonato para mais um carrocel recém inaugurado por Ecclestone, por uma F-1 sem ultrapassagem e sem emoção).

Não existe mais o GP da França, nem o da Áustria, o de Portugal, Silverstone já era, Hungaroring foi multilado assim como Hockenheim, aliás o GP da Alemanha deixará de existir também já que é tão caro pagar os roytes para o Sr. Bernie que realizar um GP é mais inviável do que ter a madonna cantando nua no teu aniversário. Por exemplo o último jogo de Play Station lançado pela Sony de F-1 foi o da temporada 2006, depois foi tão caro pagar os direitos de imagem da F-1 que a Sony dessistiu do projeto de fazer o joga da temporada 07 em 08 e nem tem previsão se lançará o jogo da temporada 2008.

Enfim a F-1 perde muito com isso, mas tenham certeza que Bernie Ecclestonne ganha bastante. Talvez nos próximos 10 anos não lucrem mais, porque com tantas medidas tornando o esporte menos atrativo um dia a fonte seca. Mas na idade dele por que se preocupar com o futuro?

Lamento muito esta situação assim como vocês que amam este esporte também devem lamentar. Mas somos apenas os telespectadores e podemos apenas assitir ao circo caindo sem nada a fazer. Infelismente.

Deixem suas análises!

12 Análises:

Sandro,  5 de dezembro de 2008 16:38  

Perfeita análise do Análise sobre a Honda e sobre Ecclestone.

Glaucia,  5 de dezembro de 2008 17:05  

E a Honda ainda ficava delirando em contratar o Alonso. E de rir!

manu 5 de dezembro de 2008 17:10  

Perfeito post Análise!
Simplesmente é isso aí mesmo. É exatamente esse o erro de tudo na F1 ultimamente: está ficando desinteressante. Um número de coisa exorbitantes acontecem, (fora as injustiças) e isso aí passa a ser só mais um conto.

Como vc, tbm lamento ver as coisas a tais pontos, como chegaram. E o principal foco cada dia mais está sendo deixado de lado: o espírito do esporte.

Abraços a todos!

Wanderson,  5 de dezembro de 2008 17:46  

Perfeito, Análise. O que você comentou do PS é verdadeiro. Parou no F1 2006 em decorrência d oabissal preço cobrado pelo Bernie. A F1 está morrendo.

Anônimo,  5 de dezembro de 2008 20:36  

....e M.C. escreve indignado: NOOOOOOOOOOOOSSSA ! QUANTA BESTEIRA JUNTA ! Nem sei por onde começar ! Visão esquerdóide delirante de gente que não vê um palmo a frente do nariz ! E igualzinha a de todos os outros( é só checar: Wanderson( suspeito), Priscilla, RONron GROOssildo, Alessandra.... e deve ter mais por aí ). F1 DÁ LUCRO ! Tio Bernie é gênio das finanças. Do jeito que a coisa ia, em 1983-84, nenhuma equipe de F1 poderia seguir sozinha. Só se a F1 virasse Indy ! E está na essência da categoria ser "know how" em tecnologia automobilistica. Se colocarem a campeã Ferrari ao lado da campeã Andretti Green num grid, MESMO NOS CIRCUITOS OVAIS, Pufffff...circuito misto, meu Deus...será um estrago gigantesco...para a categoria americana. E Redaçal quer isso para F1 ! Ah.....sai prá lá ! Quem torna cara e insustentável( besteira...) a categoria não é o Bernie e sim a competição de cachorro grande, seu manémoda ! Hoje, a Inglaterra e a Itália têm o know-how em aerodinâmica de carros esportivos e tudo ligado a este conhecimento. Produzem os melhores e mais sofisticados motores do mundo ! Engenharia ! Não à toa os japoneses tentaram conseguir este conhecimento nestes anos e se deram mal ! Os alemães tentam( ingleses estão em todas as equipes) mas ainda não conseguiram. Mercedes na F1, sem a McLaren...Mantém a parceria. Mas os italianos conseguiram ! Alguém aí se lembra do FerrariGate ? Renault ? HA ! O endereço dela, da equipe, é Enstone em Oxfordshire. Bom, ô pitonisa, a F1 não irá acabar. E vou cobrar de voce no grid da Austrália, 2009 ! Se derem para os engenheiros da Ferrari( ou McLaren)um carrinho de rolimã, voce verá o que eles são capazes de fazer em poucos anos ! E vê se não segue o gado....pense diferente.

Cristiano Matheus 6 de dezembro de 2008 00:41  

Muito bonito este discurso Redação!!!

Mas, meu lado empreendedor da razão ao MC...

Ao meu ver, o mundo ficou Marketeiro demais, com isso o foco da F1 esta mais fora do que dentro das pistas. A Europa atingiu uma excelência em desenvolvimento, mas para isso exige custos altos.

Um dos primeiros gênios da Industria automobilistica, Henry Ford disse:

"Quando tudo parece errado, lembre-se que os aviões decolam contra o Vento."

Eu lhe digo que a F1 não perdeu seu brilho, mas teve suas prioridades distorcidas, assim com esta crise, pode voltar ao seu estado original. Muita das atitudes de Tio Bernie demonstra isso.

Meu lado otimista pode parecer issuportãvel às vezes, mas é assim que eu penso!

Até mais...

Simone,  8 de dezembro de 2008 13:13  

Perfeita a avalição do Análise. E se a F1 tem dado tanto lucro, por que as equipes estão fechando por falta de patrocínio? Precisam mudar a politica da F1 já!

Luiz Fernando,  9 de dezembro de 2008 12:06  

Montezemolo, mostre q vc é um cara de visão: traga de volta o Ross Brawn e de um pontape nos fundilhos do Sr Domenicalli. Gestão é reavaliar sempre e intervir rapidamente qdo se tem oportunidade. E vc a tem neste exato momento, com a fragmentação da Honda. Acorda cara!!!!!!!

Fernando Kesnault,  10 de dezembro de 2008 18:21  

Análise, estou voltando.....disseste algo sobre a foto não ter dado certo não??

Enzo 11 de dezembro de 2008 03:12  

A super-licença é paga a FIA e não a Bernie.

Luiz Fernando,  11 de dezembro de 2008 13:35  

Poxa Kesnault, onde vc tava cara? Passeando de novo pela França. Bem vindo de volta.

  ©Template by Dicas Blogger.